Tá chegando a hora: o que precisa para declarar Imposto de Renda?

Todo ano quando vai chegando março bate aquele desespero: o que precisa para declarar Imposto de Renda? Por isso, é fundamental se organizar antes para não perder o prazo da declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF). No ano passado, cerca de 32 milhões de brasileiros revelaram à Receita Federal os seus rendimentos de acordo com a projeção realizada pelo órgão na época. 

 

Antes de continuarmos abordando o Imposto de Renda de Pessoa Física, é importante apontar que, diferentemente, o pagamento do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) costuma acontecer trimestralmente nos últimos dias de março, junho, setembro e dezembro e é obrigatório para todas as empresas, exceto as micro e pequenas empresas enquadradas no Simples Nacional. Fale com o seu contador para se assegurar sobre a realização do pagamento no tempo correto.

 

Pois bem, retornando à Declaração de Pessoa Física, quando atrasada há uma cobrança de multa mínima de R$165,74. Ainda não há a data limite para a declaração, porém é previsto que o prazo voltará a ser final de abril, como era nos anos anteriores a 2020. No ano passado, o prazo se estendeu por conta da pandemia. Vamos descobrir o que precisa para declarar Imposto de Renda, mas antes vamos entender quem precisa:

 

Quem precisa declarar o Imposto de Renda de Pessoa Física?

 

1- Aqueles que obtiveram rendimentos tributáveis acima de R$28.559,70 durante o ano de 2020, seja por meio de salários, honorários, férias, comissões, pró-labore, receita com aluguel de imóveis, pensões, entre outros;

 

2- Quem obteve rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte superior a R$40.000,00 durante o ano de 2020, como por exemplo: alimentação, transporte e uniformes fornecidos pela empresa de forma gratuita, reembolso de viagens em geral, salário-família, entre outros; 

 

3- Aquele que recebeu em qualquer mês, dinheiro por conta de alienação de bens e direitos – em que o IR incida – ou então realizaram operação em bolsas de valores, mercadorias, futuro ou semelhantes;

 

4- Teve até 31/12/2020 bens ou direitos no valor total superior a 300 mil, juntando todos os bens;

 

5- Aqueles que passaram à condição de residente no Brasil e se mantiveram até 31/12/2020;

 

6- Quem vendeu móveis residenciais e obteve ganho na operação, mesmo que tenha comprado outro imóvel em um prazo de 180 dias e usaram da regra de isenção do imposto de renda;

 

7- Quem exerce atividade rural e teve receita bruta acima de R$142.798,50 ou que pretende compensar prejuízos de anos anteriores ou até mesmo de 2020.

 

Vale lembrar que mesmo se você não estiver enquadrado nos tópicos acima, declarar os rendimentos e despesas pode te garantir restituição de imposto, e a declaração pode ser usada como comprovante de renda em empréstimos e financiamentos.

 

Estou desempregado, preciso declarar Imposto de Renda?

 

A resposta é: sim! Mas apenas se a soma dos salários recebidos no ano passado até a demissão tenha superado R$ 28.559,70, você deve preencher a declaração. Lembre-se de incluir outras fontes de renda sujeitas a imposto, como pensão alimentícia ou rendimento de imóveis alugados, por exemplo. 

 

Requisite o informe de rendimentos no RH da antiga empresa, pegue os extratos do FGTS e do seguro-desemprego na Caixa, inclua-os na declaração, assim como a indenização trabalhista.

 

O que precisa para declarar Imposto de Renda?

 

Acompanhe quais são os principais documentos e informações que compõem a declaração de IR, ou seja, o que precisa para declarar Imposto de Renda:

 

  1. Informações gerais: 

 

-Dados da conta bancária para restituição ou débitos das cotas de imposto apurado, caso haja;

-Nome, CPF, grau de parentesco dos dependentes e data de nascimento;

-Endereço atualizado;

-Back-up da última declaração Imposto de Renda de Pessoa Física entregue;

-Atividade profissional exercida atualmente.

 

  1. Rendas:

 

-Informes de rendimentos de bancos e instituições financeiras;

-Informes de rendimentos de pessoa jurídica ou física;

-Informações e documentos de outras rendas, tais como pensão alimentícia, doações, heranças recebida no ano, DARFs de Carnê-Leão, entre outras;

 

  1. Pagamentos feitos:

 

-Informes de pagamentos ou documentos que comprovem gastos com plano ou seguro de saúde e odontológico;

-Informes de reembolsos de gastos com saúde emitidos pelo plano ou seguro de saúde;  

-Documentos que comprovem os gastos com despesas médicas, educação, previdência social e privada e com doações;

-Comprovantes oficiais de pagamento a candidato  ou partido político.

 

  1. Bens e direitos:

 

-Documentos que comprovem a compra e a venda de bens e direitos, bem como os saldos dos bens e direitos. 

 

  1. Dívidas e ônus:

 

-Informações e documentos de dívidas e ônus contraídas ou pagas no período;

-Documentos que comprovam os saldos das dívidas e ônus no final do exercício.

 

  1. Renda variável:

 

-Controle de compra e venda de ações, inclusive com a apuração mensal de imposto.

-DARFs de renda variável.

 

Como enviar a declaração para a Receita Federal?

 

São duas formas de envio:

 

1- Pelo programa disponibilizado pelo site da Receita Federal;

 

2- Pelo aplicativo Meu Imposto de Renda, disponível nas lojas de aplicativos Google Play e App Store.

 

Gostou desse conteúdo?  Não esqueça de nos seguir no Instagram e no Facebook para mais dicas! 

 

Até a próxima

 

Mais conteúdos:

 

×

Olá!

Precisando de ajuda com o Vendizap? É só clicar abaixo para falar com o Suporte.

× Ajuda