Organize o fluxo de caixa da sua empresa em 4 passos

 

O fluxo de caixa é uma ferramenta que controla suas finanças empresariais, registrando as entradas e saídas de dinheiro em um determinado período. Toda e qualquer movimentação ao longo deste tempo precisam estar representadas, sejam elas receitas, despesas, contas a pagar, contas a receber, empréstimos, reembolsos, rendimentos, entre outros.

 

Isso pode parecer óbvio, mas se o seu fluxo de caixa não estiver organizado, você certamente irá ficar confuso e deixar de ganhar – ou até mesmo irá perder – dinheiro. Evite multas e atrasos, bem como evite perder tempo com checagem de post its e papéis: organize-se.

 

Essa organização do fluxo de caixa deve ser diária, ou, no mínimo, feita semanalmente para que você não se perca e deixe de registrar informações importantes. Isso é fundamental e requer muita disciplina. Somente assim você poderá tomar decisões importantes relacionadas a saúde financeira do seu negócio. 

 

Saiba o que fazer pelo seu negócio durante a pandemia.

 

É possível organizar essas informações em softwares ou planilhas. Siga nossas dicas valiosas e não se perca nunca mais:

 

1. As contas bancárias da empresa devem orientar o fluxo de caixa

Pode parecer bem básico, mas é fundamental saber de onde provém o dinheiro que o seu comércio gasta e para onde vai o seu rendimento. É imprescindível determinar para qual conta certos recebimentos serão destinados e de onde sairá os pagamentos. 

 

2. Defina como registrar receitas e despesas, fixas e periódicas

 

Para controlar o fluxo de caixa, é possível diferenciar receitas e despesas por cores, ou utilizando um sinal negativo na frente do que é despesa, por exemplo, para que a identificação seja facilitada.

 

Você também pode incluir uma cor para os custos fixos, aqueles que tem todo mês, por exemplo, aluguel, fornecedores, materiais, entre outros, além de pagamentos parcelados ou taxas anuais. 

 

Do mesmo modo, caso você venda serviços ou produtos de modo parcelado ou com prazo para o pagamento, também é interessante fazer o lançamento das contas a receber para os próximos meses. 

 

Ter claro quais são os seus custos fixos irá te ajudar a prever os pagamentos futuros, saber se terá dinheiro para cobrir as despesas nos próximo meses, ou se será o caso de pedir um empréstimo, por exemplo.

 

3. Crie categorias para as receitas e despesas

 

Criar uma classificação para suas receitas e despesas por meio de categorias vai te ajudar a identificar o tipo de gasto ou lucro. Por exemplo: material, internet, funcionários…

 

Lembre-se de criar categorias suficientes para suprir a necessidade do controle financeiro. Poucas irão deixá-lo muito superficial, o que é mais fácil de fazer com que você se perca. Muitas deixarão o controle do fluxo de caixa muito detalhado e complexo. Ache o equilíbrio para você e sua empresa.

 

4. Tenha centros de custos e de receitas

Com os centros de custos (locais onde originam as despesas) e centros de receitas (locais onde as receitas são originadas) você irá saber exatamente de onde está vindo ou de onde está saindo o dinheiro.

 

É legal criar os centros de custo e receitas para cada área e equipe da loja, caso tenha um aporte maior. Assim, você consegue saber qual área está dando mais lucro e qual está dando mais despesas.

 

Dica extra: não adianta só inserir as informações no controle do fluxo de caixa, é preciso analisá-las para desenvolver um planejamento concreto.

 

Saiba mais como vender pela internet acompanhando-nos no Instagram e no Facebook.

×

Olá!

Precisando de ajuda com o Vendizap? É só clicar abaixo para falar com o Suporte.

× Ajuda